Um projeto de promoção da Educação com o Colégio Efanor

O desafio
Ser capaz de usar duas ou mais línguas para comunicar é uma competência cada vez mais requerida no mundo global em que vivemos, onde mais de 50% da população mundial fala pelo menos duas línguas. Para além dos inegáveis benefícios pessoais, sociais e profissionais que ser capaz de usar mais do que uma língua para comunicar acarreta para os indivíduos e para a sociedade em geral, usar duas ou mais línguas parece produzir outros benefícios relevantes na melhoria de competências ao nível do funcionamento executivo, flexibilidade cognitiva, pensamento criativo, no atenuar do declínio cognitivo observado com o avanço da idade, e, até, no atraso da emergência de sintomatologia associada a doenças neurodegenerativas como Demência ou Alzheimer.

Os benefícios associados à aprendizagem de duas ou mais línguas podem ser potenciados se o contacto com essas línguas se iniciar cedo na vida. Embora os mecanismos subjacentes a estas vantagens sejam hoje alvo de um intenso debate na comunidade científica, parece existir consenso em torno da ideia de que os primeiros anos de vida constituem um período neurodesenvolvimental chave à aquisição de uma segunda língua dado os cérebros das crianças estarem especialmente aptos a capturarem as características do meio linguístico que as circunda. A investigação neurocientífica mais atual tem por isso convergido na ideia de que, ao invés das recomendações iniciais, quanto mais cedo na vida a exposição a uma segunda língua ocorrer, maiores as vantagens que daí podem decorrer, não apenas do ponto de vista do funcionamento linguístico, mas do ponto de vista do funcionamento cognitivo mais geral.

A intervenção
Este projeto tem como objetivo principal testar os efeitos que a exposição ao inglês como segunda língua pode ter junto de crianças com idades compreendidas entre os 04 e os 36 meses de vida a frequentar a creche do Colégio Efanor ao nível das suas competências comunicativas e linguísticas e do desenvolvimento cognitivo em geral para, desse modo, informar práticas educativas baseadas na evidência científica. Especificamente, com este Projeto procura-se analisar as alterações que as crianças alvo do Programa de exposição precoce ao inglês como segunda língua poderão manifestar ao longo dos três anos de implementação do Projeto nas suas competências de produção e compreensão linguísticas (e.g., ao nível fonético-fonológico, léxico-semântico, e morfossintático) tanto na segunda (inglês) como na primeira (português europeu) língua; e de funcionamento cognitivo (ao nível de controlo inibitório, flexibilidade cognitiva e memória de trabalho).