PRÉMIO CARREIRA DO ENSINO BÁSICO

Preâmbulo  
A Fundação Belmiro de Azevedo está vocacionada, pelos seus estatutos, para o apoio à Educação, à Filantropia, às Artes e à Saúde. Tem desempenhado ao longo dos anos uma acção filantrópica notável, quer isoladamente quer em parceria com as empresas Sonae. No ano de 2010 concedeu, em dinheiro e bens, mais de 11.000.000 € de donativos a instituições com fins sociais. No âmbito das suas acções mais variadas, destaca-se o apoio a IPSS sem fins lucrativos. Este conjunto de actividades torna-se ainda mais importante na situação de crise que o País actualmente atravessa.
O apoio à cultura e à ciência tem desempenhado também um papel muito importante. No âmbito do ensino, os múltiplos subsídios estão muitas vezes incluídos nos apoios a IPSS e também aqui tem apoiado a actividade de escolas pertencentes a estas instituições.
A Fundação criou o Colégio Efanor em instalações próprias, na Senhora da Hora, concelho de Matosinhos, com ensino pré-escolar e básico. Projecta-se a construção de um novo edifício para permitir o alargamento progressivo do ensino para níveis mais elevados.
O papel do professor do ensino básico é de grande importância na educação da criança, frequentemente com repercussões pela vida fora, criando um espírito ávido pelo saber e pelos seus deveres de cidadania.
Este papel do professor nem sempre tem sido reconhecido pela sociedade, que frequentemente lhe atribui um lugar secundário na preparação escolar.
A Fundação Belmiro de Azevedo considera que este prémio oferece uma oportunidade única para celebrar aqueles que incansavelmente e de forma altruísta dedicam as vidas a preparar as gerações seguintes para construírem um futuro melhor. Estes são professores cuja dedicação ao ensino ganharam um reconhecimento na comunidade e ajudaram a melhorar o prestígio da Escola de que fazem parte.
Reconhecendo este facto, e tentando enaltecer o papel do professor do Ensino Básico, a Fundação Belmiro de Azevedo, achou por bem instituir um prémio de carreira do professor do ensino básico, com a finalidade de reconhecer a importância da sua actividade na educação.
Este prémio será atribuído de dois em dois anos, segundo um regulamento que se junta.
Reconhece-se a dificuldade de avaliar a vida de um professor segundo parâmetros objectivos. Nesta avaliação ter-se-á que julgar a opinião dos ex-alunos, dos seus pares e de pessoas que lidaram com os candidatos ao longo dos anos.
 
Boletim de Candidatura 
Download Ficha Candidatura Premio Carreira

 
Patrocínios  
Júri
Presidente:
Eng. Belmiro de Azevedo

Vogais: Prof. Doutor Manuel Rodrigues Gomes
(Professor Jubilado Faculdade de Medicina - U. Porto)

Prof. Doutor Alexandre Quintanilha
(Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar - U. Porto)

Prof. Doutor António Martins da Silva
(Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar - U. Porto)

Prof. Doutor Henrique de Barros
(Faculdade de Medicina - U. Porto)
 
Regulamento  
Art.° 1°
O prémio de carreira do Ensino Básico será concedido anualmente ao professor do ensino básico, de disciplinas ensinadas em língua portuguesa, que durante a sua actividade profissional tenha sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora.
O prémio está aberto a qualquer professor que esteja actualmente a leccionar qualquer disciplina em língua Portuguesa. Qualquer pessoa poderá nomear um candidato e não há limite ao número de candidaturas que um indivíduo pode apresentar.
 
Art.° 2°
1 – Qualquer instituição ou pessoa portuguesa pode enviar propostas de candidatura ao prémio para a Fundação Belmiro de Azevedo, na Av. da Boavista, nº 127//81 – 4º, no Porto.
2 – As propostas de candidatura deverão ser apresentadas através do preenchimento do impresso à disposição dos proponentes, na morada referida no ponto 1 ou no site da Fundação em www.fundacaobelmiroazevedo.pt.
3 – Não são elegíveis para este prémio os professores que se tenham reformado ou que se reformem antes do mês de Setembro do ano em que o Prémio seja atribuído. A Fundação Belmiro de Azevedo não aceitará candidaturas póstumas ou candidaturas de professores reformados.
4 – Vencedores de edições anteriores não poderão recandidatar-se.
 
Art.° 3°
O prémio será atribuído por um júri nomeado pelo Conselho de Administração da Fundação Belmiro de Azevedo.
 
Art.° 4°
1 - O júri elegerá um Presidente e um Secretário.
2 – Compete ao Presidente convocar o júri e dirigir as reuniões.
3 – Compete ao Secretário redigir a acta das reuniões.
4 – Em caso de empate, o Presidente terá voto de qualidade.
 
Art.° 5°
1 – O júri terá plena liberdade para eleger qualquer dos candidatos propostos.
2 – O júri terá plena liberdade de excluir um candidato se se tornar claro que a evidência de suporte à nomeação – nomeadamente através dos casos apresentados – é falsa. O júri poderá excluir qualquer candidato em qualquer momento à sua discrição.
 
Art.° 6°
1 – As candidaturas serão avaliadas com base num conjunto de itens que deverão ser evidenciados pelos candidatos ou pelos respectivos proponentes:
1. Carreira com 30 ou mais anos
2. Apresentação de evidência do bom desempenho dos alunos ao longo da carreira
3. Apresentação de casos onde se demonstre:
a. Capacidade de influenciar a dinâmica escolar
b. Capacidade de motivação de colegas que tenha provocado impactos na comunidade educativa
c. Actuações com relevância cívica ou intervenções de natureza social e cultural na comunidade
d. Exemplos de inovação na escola ou na comunidade escolar
2 – Todo o material submetido como parte da candidatura e os respectivos direitos de autor, bem como direitos de entrevistas concedidas ao abrigo da atribuição deste prémio, é propriedade da Fundação Belmiro de Azevedo. Nenhuma candidatura ou documentação de suporte serão devolvidos.
3 – O candidato e, caso exista, o proponente dão todos os consentimentos necessários à Fundação BA para produzirem material publicitário baseado na respectiva candidatura ou proposta e aceita participar sem ser remunerado em entrevistas que poderão ser utilizadas pela Fundação Belmiro de Azevedo em qualquer tipo de media e em qualquer parte do mundo.
4 – As candidaturas, elaboradas em língua portuguesa, devem ser enviadas até ao dia 31 de Julho de cada ano em que o prémio é atribuído, com inicio no ano de 2012, através de um ficheiro em formato PDF, sem restrições, para fundacao_belmiro_azevedo@sonae.pt. Adicionalmente, devem se remetidos dois exemplares impressos, para a Fundação Belmiro de Azevedo, Av. Boavista, 1281 – 4º - 4100-130 Porto.
 
Art.° 7°
O prémio será concedido à pessoa que obtenha a maioria dos votos dos membros do Juri
 
Art.° 8°
1 - O prémio poderá ser compartilhado por mais de um candidato, quando no decorrer de votações sucessivas, se mantenha um equilíbrio entre duas candidaturas.
2 – O prémio não poderá ser concedido a título póstumo.
3 – As decisões do júri são finais e não são sujeitas a recurso, assim como as da Fundação Belmiro de Azevedo, que não responderá a correspondência enviada sobre assuntos relacionados com decisões.
4 – A candidatura a este prémio pressupõe a aceitação explícita das regras apresentadas e o respeito das mesmas.
 
Art.° 9°
1 – O prémio é constituído por um diploma e uma dotação em dinheiro, que no ano de 2012 será até ao valor de €30.000. Por decisão do Conselho de Administração da Fundação BA. O Conselho de Administração da Fundação BA determinará para os prémios posteriores o valor da dotação.
2 – Todos os prémios estão sujeitos à aplicação da lei fiscal portuguesa.
3 - A Fundação Belmiro de Azevedo reserva-se o direito de não atribuir qualquer prémio, no caso de não haver candidaturas admitidas a participar, ou no caso de o Júri considerar que as candidaturas admitidas a participar não reúnem a qualidade ou relevância exigidas pelo artigo 6º, ou de atribuir um prémio de valor inferior ao limite da dotação para aquele ano.
4 – Fica ao arbítrio da Fundação Belmiro de Azevedo a atribuição de prémios em maior número ou de valor mais elevado do que o previsto neste regulamento.
 
Art.° 10°
Os resultados serão divulgados publicamente durante o mês de Novembro do ano de atribuição do prémio, com inicio no ano de 2012, salvo por motivo de força maior. Os membros do Júri e deverão guardar sigilo sobre a atribuição de qualquer prémio até à data da aludida divulgação pública.